terça-feira, 25 de junho de 2013

O Suicídio



O suicídio é uma Revolta do ser humano contra a Vida como ela se apresenta, pois ao cometer o suicídio esse ser está dizendo ao Criador da Vida que a Vida que ele tem não é a vida que ele gostaria de ter tido. 

O suicida trás em mente que se a Vida não é como eu a quero, então, eu não quero a Vida! A pessoa prefere morrer. Percebe que é um ato egoísta? Individualista e completamente rebelde?

Motivos para o suicídio são diversificados, mas seja ele qual for é um ato de revolta contra a Vida, portanto, contra Deus(1). Porém, tudo isso é fruto da Liberdade Humana, pois o ser humano é tão livre que pode tirar sua própria Vida, mesmo contrariando a Vontade de Deus. Por isso o suicídio é um pecado, pois é um ato proposital de revolta contra a vida que se tem. Mas, se você for observar o que está por debaixo dessa camada de autocomiseração, na Verdade é um Ego maior do que a pessoa consegue carregar. 

Todo suicida é um soberbo(2), arrogante que sucumbiu aos apelos de seu ego de querer ter além daquilo que possui:

- Não conseguiu um grande amor.
- Perdeu um grande amor.
- Foi despedido.
- Sofreu com seus pais.
- Não é lindo.
- Queria ser rico.
- Perdeu sua riqueza, etc


Veja que tudo o que foi mencionado são aspectos de uma vida que almejava coisas elevadas: Um grande amor, um bom emprego, beleza, riqueza, etc. Portanto, são egos insatisfeitos.


O que um homicida necessita é de se olhar no espelho e ver que ele não é o centro do Universo. Que as pessoas não vivem em função dele, que o outro prefere a outra. Assim, ele tem que dar continuidade à sua Vida e vai pra luta. Tem que se encaixar e se não acontecer, se encaixe numa utilidade de Vida, num projeto de Vida, num trabalho em prol dos outros, seja cabeça, seja um espectador da beleza, seja amigo, seja modesto.


Não quero dizer com isso que todo suicida é um hospede em potencial para o inferno, embora seja, pois sempre existe a possibilidade de no último suspiro de vida haver arrependimento entre a queda do vigésimo andar até o solo: "O que eu fiz?"

Ninguém deve ou pode julgar um suicida. A Deus, e somente a Ele cabe toda justiça.


A Vida que Deus te deu é algo único e que ninguém na face da terra terá o privilégio de vive-la, então, viva-a, saiba jogar o jogo da vida, crie, recrie, creia, viva a vida, pois ela é única.

Encontre o grande objetivo da vida humana que é achar a Verdade. Busque-a incessantemente e incansavelmente. Assim você encontrará a razão da sua vida.

Posso te dar uma dica: Jesus é a Verdade.


Bibliografia
1 - Curso Filosofia da Linguagem
2 - Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Jr.