sexta-feira, 28 de junho de 2013

Consciência do Erro





Será que o ditado "Errar é Humano" é correto? Vamos pensar:

Se errar é humano, logo, essa deveria ser uma característica somente humana, portanto, os animais seriam incapazes de errar. Então, a pergunta é: "Os animais erram?" 

Os animais não possuem as mesmas características humanas com relação à razão, à consciência e à emoção. Não na mesma proporção. Você nunca verá um macaco lendo um livro, ou um gato tricotando uma touca. O macaco vai tentar comer o livro e o gato vai fazer uma lambança do novelo de lã. 

Os animais desconhecem aspectos da Ética. No reino animal não há certo e errado, há "me dei bem, me dei mal", talvez inconsciente mas há. A consciência que se tem de que um erro foi cometido é uma característica somente humana.

Portanto, talvez o mais correto seria dizer: "Acertar é Humano" e o errar faz parte de sua natureza decaída atual.


Alguém me perguntou após uma palestra: "Os animais têm alma?". A própria palavra animal tem origem no latim anima e significa alma, portanto, o animal segundo Gênesis 1.21,24,30 é uma alma vivente no mundo material (físico). 


Porém, o que deve ser tratado com muita cautela é que os animais são diferentes dos humanos, pois só os humanos tem consciência de certo e errado. Só os humanos podem escolher diante de diversas opções, por meio de sua racionalidade, aquela que mais lhe parece correta. Só os humanos conseguem fazer uma poesia de amor e musicá-la. Os animais podem tocar apenas o instrumento musical que lhe foi dado por Deus (o que é lindo).

A consciência é uma reguladora de pressão, pois quando erramos o aperto no coração, a angustia (do latin Angusta significa aperto. Uma saia angusta, é uma saia justa, apertada) tenta nos fazer recuar, mas se vituperamos a consciência, essa violação irá pouco a pouco amortecendo essa maravilhosa bússola que norteia nossas decisões, até que já não a ouça mais. Assim, o estuprador de sua própria consciência terminará por cauterizá-la, tornando-a um instrumento sem ponteiro e sem norte.


Os animais gemem, como toda a natureza geme para que os filhos de Deus se manifestem.

Acertar é humano! O errar é descuido, estupidez ou péssima escolha. O problema é que alguns erros são passíveis de se consertar, mas há alguns que jamais serão consertados. Uma filha que tira a vida dos próprios pais, como o caso da Richthofen, viverá para o resto de sua vida com aquele espinho na carne incomodando a cada dia, ou
então, tentará uma cauterização religiosa, ou psicológica, ou se refugiará nos conditos mais escuros de sua alma ao ponto de se tornar uma pessoa fora de si, ou seja, uma casa desabitada de si mesma. Um zumbi cambaleante e contagioso.

Daí a importância de se tomar decisões direcionados pelo Espírito Santo de Deus, pois Ele sempre nos conduzirá à Verdade. Quem anda na Verdade nunca cairá nessas armadilhas da vida, e se cair, não ficará prostrado, pois temos um Advogado justo a nos defender.


A consciência agita os sinos, só ouvidos pelo coração, dizendo que pisamos no tomate e estamos quase escorregando.

A consciência é um conectivo com o divino que toca as trombetas avisando-nos que algo saiu errado e se faz necessário tomar uma atitude de reparação.


Ensinar ou Pregar não é o mesmo que Pastorear




Ensinar/Pregar é diferente de Pastorear

Ninguém pode dar de si, se em si nada tem. Pouco pode dar de si, se em si pouco tem. Muito pode dar de si, se em si muito tem.

Três modos de entender isto:

1 - Materialmente (financeiramente)
2 - Espiritualmente (enchei-vos do Espírito)
3 - Epistemologicamente (conhecimento)

Qual você mais valoriza?

O Mestre, o pregador deve valorizar qual? Se valoriza mais o espiritual do que o conhecimento, então, possivelmente, está na área errada de atuação, pois só posso ensinar até onde conheço. Ninguém pode dar de si o que em si não possui. Aí ouvimos uma mensagem poderosa, mas sem conhecimento.

Jesus disse: "Errais por não conhecer as Escrituras e nem o poder de Deus". O Poder sem o Conhecimento conduz a erros (segundo o Mestre), e o Conhecimento sem Poder conduz à Filosofia, ao Ceticismo, à Apostasia.
Pastorear: É conduzir com amor. Pode pregar, mas isso não é essencial e nem necessário. Pode ensinar, mas não é essencial e nem necessário. É necessário amar e conduzir e eventualmente pregar e ensinar. Existem excelentes pastores que não sabem pregar, assim como existem excelentes pregadores que não sabem pastorear.

Por isso, Paulo, falou: 

Ef.4.11-25: "E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo, para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, de quem todo o corpo, bem ajustado e consolidado pelo auxílio de toda junta, segundo a justa cooperação de cada parte, efetua o seu próprio aumento para a edificação de si mesmo em amor.

Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza. Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus, no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade. Por isso, deixando a mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros". 

Infelizmente os donos de Igreja não entenderam que a Igreja é de Jesus Cristo.

A Distância






Filipenses 2.7 - Distância

Cristo Jesus, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana... 

Paulo ao escrever aos filipenses esta carta, estava numa prisão, mas o nível de sua inspiração é tão profundo que às vezes deixamos de observar detalhes. 

O detalhe que ressaltou aos meus olhos foi: "A si mesmo se esvaziou, , tornando-se em semelhança de homens"
Esse esvaziamento com a finalidade de ser semelhante aos homens me faz pensar silogisticamente:

1 - Jesus é Deus.
2 - Jesus se fez homem.
3 - Jesus se esvaziou com essa finalidade.

Logo, o homem, enquanto ser, está distante da divindade na mesma proporção do volume do esvaziamento de Jesus.
Portanto, estamos em um nível tal, que talvez não nos dê sequer a ideia do que venha a ser uma espiritualidade plena.


Mas, apesar disso somos chamados a essa plenitude:

II Pedro 1:4 "pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo"

Essa é a maior loucura humana, "o existir alienado de Deus"

O que restou de nossa alma grita, geme, roga um retorno ao lar celestial.
Ficar participante da NATUREZA DIVINA é o preenchimento desse vácuo, dessa lacuna que nos faz seres inquietos e inquietantes.


Em Cristo e suas promessas somos participes da Natureza Divina.
Vida eterna sem esse preenchimento na alma é simplesmente prolongar essa inquietação louca por toda a eternidade. Enchei-vos do Espírito!

Beleza: Uma Qualidade




A Beleza

A beleza é uma área bem discutida na filosofia estética. A Estética e suas implicações metafísicas.
Para o subjetivismo a Verdade objetiva não existe, o Bem objetivo não existe e a Beleza objetiva não existe.
A beleza relativizada é um absurdo, pois a beleza é real, ou é belo ou é feio. Beleza não é questão de gosto, mas de realidade.

O gosto pode ser direcionado. A mídia pode conduzir os gostos, mas jamais a beleza. Alguém pode ser instruído a ter bom gosto ou mal gosto, mas isso independe da beleza. O mau gosto não torna a coisa que se gosta bela.

A implicação metafísica é importantíssima, pois se a beleza for relativizada ao gosto do freguês, segue-se que o relativismo está presente em todas as áreas da vida e que Deus não fez o belo, pois o belo não existe.

Deus é virtude plena. Todo bem, bondade, harmonia, amor, beleza, luz e semelhantes, são qualidades que tem fonte e essa fonte é Deus. Você, então, perguntaria: "Mas, e a feiura, mal, maldade, confusão, ódio, trevas, são da mesma fonte: Deus?" Não! Em Deus não há nem sombra de qualquer variação ou sombra de mudança (Tg.1.17). Então? Então, toda feiura, maldade, confusão, ódio e trevas, na verdade são ausências de beleza, de bondade, de harmonia, de amor e Luz.
Por exemplo, a ausência de Luz é trevas, pois a luz chegando as trevas se vão. A ausência de beleza é feiura, logo, é preciso passar esmalte nas unhas, colocar brincos, fazer a barba, ir à academia, cortar os cabelos, fazer plástica, e, temporariamente a feiura se vai. Porém, tem gente que só um milagre mesmo!?! Nesse caso a fonte já não era boa. 

Não podemos nos esquecer dos efeitos da queda. O conhecimento do bem e do mal veio por meio da queda, do pecado. A beleza e a feiura já estavam implícitos nesse conhecimento proibido. Adão e Eva deveriam ser muito belos, pois os efeitos da queda vieram depois do pecado. Quando Deus os criou não havia o oposto ao belo, ou seja, o feio.

Não fique triste pela sua feiura. Em Cristo somos à imagem dele, temos sua mente e exalamos o perfume dele. Que a beleza de Cristo se veja em nós.

Muitos dizem: "O fulano tem uma beleza interior enorme", isso é o mesmo que dizer "o cara é feio de machucar". Um cirurgião pode responder melhor essa questão!
Evidentemente quando se fala em beleza interior de alguém, isso corresponde a uma virtude de sua alma. Pois, toda qualidade tem origem em Deus, seja no corpo, na alma ou no, e principalmente, espírito.

Jesus foi o exemplo de que ser feio não é demérito algum: Is.53:2 "Porque foi subindo como Renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha formosura nem beleza; e, olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos". 

O primeiro Adão foi belo e agiu mal, assim como Saul e Davi. Já o segundo Adão (Jesus) não tinha formosura, mas fez tudo o que o Pai lhe pediu. 

Jesus, em sua próxima Vinda, virá com Glória e Formosura: Is.4:2 "Naquele dia, o Renovo do SENHOR será cheio de beleza e de glória; e o fruto da terra, excelente e formoso para os que escaparem de Israel".

Quarta Dimensão?




Tridimensionalidade

O ser humano é racional e com consciência. Pode racionalizar o mundo material, pode discernir entre o certo e o errado. Caso cometa algum dano a alguém, isso lhe baterá na consciência, caso não a tenha cauterizado.
Podemos entender a Criação Divina do mais simples para o mais complexo no tocante a esse mundo. 

Primeiramente foi criado a substância, os elementos constitutivos do Universo, os minérios, os gases, enfim a matéria necessária à vida. Já no dito Big-Bang todas as necessidades para a vida foram formadas, pois bastava um desvio milimétrico e tudo estaria perdido para a vida. 

A chamada força fraca, que é uma das quatro forças fundamentais da natureza, que opera dentro do núcleo de um átomo, é tão precisamente ajustada para a vida que uma alteração no seu valor que fosse de UMA PARTE EM dez elevado ao exponente 100, ou seja 10 seguidos de cem zeros. Se fosse alterada uma parte só desses 10 elevado a cem a vida seria impossível, segundo os cientistas (Livro Em Guarda de William L. Craig - pg.119). Logo, pode-se dizer que a vida foi planejada antes mesmo do Big-Bang.

Do mineral o passo seguinte foi o Vegetal (Gn.1.11) Deus criou o Vegetal com suas sementes. A seguir Deus criou os Animais e depois de tudo criou o Homem, que foi a coroa da criação, o ápice, a cereja do bolo.

Aqui vale filosofar sobre o novelo de lã: Se você pegar um novelo de lã e se aproximar de uma roseira e der a ela esse novelo, no máximo a lã vai se enroscar nos espinhos da roseira. Qual seria o sentimento da rosa para com a lã? Nenhum! Mas, se eu der esse novelo de lã para o gato, ele com certeza vai brincar, rolar e destroçar a lã. Qual o sentimento do gato para com a lã? Objeto estranho e altamente sugestivo à brincadeira! Ok!? Agora vamos dar esse novelo de lã à dona Candinha, ela certamente terá grandes ideias para utilizar essa lã, como, confeccionar uma blusa, um gorro, um cachecol, ou uma meia. Qual o sentimento da D. Candinha para com a lã? Possibilidades! Dona Candinha vê possibilidades, planeja a forma, planeja o desenho, e quanto tempo levará para fazê-lo.

Deus deu indicativos dessa sua possibilitação ao homem, dessa criatividade, dessa qualidade humana ao formá-lo.
Agora pensemos em categorias na materialidade partindo do Pontual para o mais Complexo.
O Tridimensional abrange três aspectos da materialidade em nosso campo visual e tátil, que são: Largura, Profundidade e Altura.

Pegando o mais simples que é o ponto, e adicionando alguns pontos atrás e na frente de si, teremos:

Uma reta = ..............................
..x................................. (Reta)

Um ponto sozinho seria a unidade mínima na matéria, mas ao colocá-lo em sequência teremos uma reta, e essa sim é a primeira formação com possibilidades à tridimensionalidade. Observe que o ponto "x" só pode perceber o ponto imediatamente à sua frente e à sua retaguarda na reta, portanto, dois pontos, mas ele não sabe onde findará isso! Agora junte a essa reta algumas outras retas na mesma quantidade de pontos, e assim criaremos a superfície quadrada, mas observe que o ponto agora expandiu seu universo, pois além dos pontos de trás e da frente agora ele pode perceber os pontos ao redor de si, que são oito. 
..................................
..................................
..................................
.................x................ Superfície (Área)
..................................
..................................
..................................

Bem, agora vamos pegar algumas dessas Áreas e colocá-las acima e abaixo da nossa matriz, na mesma quantidade do número de pontos da primeira reta. Assim, agora temos um Cubo e o nosso Ponto está bem no centro dele. Observe que nosso pontinho acaba de ganhar novos parceiros ao todo são 26 amiguinhos, pois só pode ver a partir de si o que lhe cerca.

Assim, agora chegamos à tridimensão. Mas, isso para aí? Não, pois só podemos enxergar os pontinhos que estão ao nosso redor.

A quarta dimensão é uma dimensão além do que conseguimos perceber, pois somos limitados à materialidade da vida, àquilo que esbarra em nós.

Jesus ao ressuscitar nos deu uma vaga ideia dessa dimensão que é infinitamente superior à nossa. Jesus podia atravessar paredes (Jo.20.19), pois nesse plano ganha-se mais parceiros e, portanto, novos horizontes, novas fronteiras. Não se esqueçam que Jesus está com um corpo vivo nessa quarta dimensão, nesse terceiro céu, no Paraíso. Esse é o futuro daqueles que aguardam a Bendita Volta de Jesus.

Aqui é preciso ter muita cautela para não cair no espiritismo! A quarta dimensão é superior e não inferior. Caminham para uma dimensão menor aqueles que não são capazes de discernir o que Jesus fez por toda humanidade.

Os Sentidos Humanos




John Locke "Nada há na inteligência que, antes, não tenha estado nos sentidos". 

Será que Locke tem razão no que disse?
O que nos faz perceber o mundo ao nosso redor? Com certeza os nossos cinco sentidos: o tato, o olfato, o paladar, a audição e a visão. Kant diz que há mais do que isso, isto é há aquilo que é inato ao ser humano, ou seja, aquilo que já nasce em nós, como a consciência divina. Depois de dizer que não existe nada fora do empírico, do experimentável, do provável, então, sem saber o que fazer com Deus, pois Ele não é empiricamente provado, não se pode fazer uma experiência de laboratório e dizer "achei Deus", então, a razão pura é essa convicção interior dessa existência.

Uma criança ao nascer já vem com alguns conhecimentos prévios? Os ateus dizem que os bebês já nascem ateus e depois é que são doutrinados a crer em Deus. Mas, será mesmo que é assim?

Não creio e a Bíblia não ensina isso. Na Bíblia é dito que os desígnios de Deus para alguns profetas já estavam delineados desde o ventre materno, portanto, antes de nascer Deus escolhera estes bebês informes para uma tarefa específica neste mundo. Será que Isaías ao ser escolhido por Deus desde o ventre materno poderia não ser profeta? Isso é o mesmo que perguntar: Será que Jesus poderia não ser o Cristo? Por que Jesus foi tentado? Poderia Ele ter caído? Será que um dia saberemos a resposta a essas questões?

Seja como for não creio no determinismo, mas em alguns pontos na vida humana que realmente teremos que passar, como o dia de nosso nascimento  nossa morte, nossas grandes perdas, nossos maiores dissabores. Veja bem, se Deus determinou o nascimento e a morte de todas as pessoas nesse mundo, pois a Bíblia diz que nossos dias estão contados, então, há momentos de grandes perdas em nossas vidas já determinados por Deus. Por exemplo: minha irmã faleceu em 1994 e isso já estava escrito, então, essa foi uma perda minha já pré-definida antes mesmo do fato acontecer. Agora fazer disso uma teologia determinista para todos os nossos atos é delirar, com certeza.

Todo o conhecimento que adquirimos em nossas vidas passam de alguma forma por nossos cinco sentidos. Então, o empírico, o experimentável  é de fato o que podemos conhecer? Nesse caso, como fica Deus? Os homens buscam a razão para encontrar Deus, buscam experiências misticas para se aproximar dele, fazem jejuns e orações clamorosas e alguns chegam a se ferir com chicotadas para agradar-lhe, mas nada conseguem.
A Bíblia diz que não é assim que os homens devem se aproximar de Deus, Hb.11.06 - " ...aquele que se aproxima de Deus tem que crer que Ele existe... e que sem fé é impossível agradar-lhe".

Aproximar-se de Deus sem crer é perda de tempo, e o único modo de agradar a Deus é tendo fé. Portanto, buscar a Deus para adquirir benefícios, bençãos, e dinheiro é insanidade.

Aproximar-se de Deus é só o primeiro passo e isso exige dois requisitos que são a FÉ e Crer em sua existência. Depois é necessário Nascer de Novo, e isso só é possível crendo na Providência divina da salvação, ou seja, é preciso crer em Jesus, na sua Obra e na sua Ressurreição. Aí sim você pode se dizer um cristão, mas ainda não basta é preciso buscar o conhecimento e continuar a conhecer a Deus e manter-se fiel a Ele.

Tricotomia ou Dicotomia




Tricotomia ou Dicotomia (A natureza Metafísica do homem)

I Ts.5.23 - "E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso ESPÍRITO, e ALMA, e CORPO sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" 

Ouvi um eminente professor "reformado" dizer que a Tricotomia é a raiz de todos os males. Infelizmente os títulos deste professor não lhe abriram os olhos à Palavra de Deus, pois o texto acima é muito claro sobre o posicionamento bíblico sobre o assunto. Aliás os calvinistas abandonam até a Bíblia, mas não abandonam Calvino. Isso é impressionante.

A Tricotomia defende que o ser humano é constituído de três partes: Espírito, Alma e Corpo. Já a Dicotomia acredita que é constituído de duas partes: Espírito e Corpo. Sendo Espírito sinônimo de Alma.

Além do texto acima existem muitos outros textos que comprovam a tricotomia, como:
Gênesis 2:7 "Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente"
Lucas 1.46,47 "Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador"
Hebreus 4.12 "Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração". 

Além destes textos, também, na criação Deus fez o ser humano à semelhança com o Criador. Deus é um Único ser, mas constituído de três Pessoas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Observe que Paulo aos Colossenses 1:15 diz: "Este é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação". Portanto, Jesus é a parte visível do Deus invisível. Jesus é o lado material, visível, de um Deus presente no Mundo Material, de um Deus manifestado na materialidade. Isto não significa que Deus em Espírito não esteja presente, mas que manifestou-se fisicamente em Jesus. O Espírito Santo enviado por Jesus é o Deus presente e atuante no Mundo. Só a matéria pode ser mudada (Aristóteles), e foi por isso que Jesus teve que encarnar, pois de que outra forma Deus poderia morrer pelos pecados como o Cordeiro Prometido e Morto desde a fundação do Mundo? Ap.13.8.


Tratar Alma e Espírito como sinônimos é o mesmo que tratar o Fôlego de Vida; o fio de prata; a força motora, sem a qual não há vida, como a imundícia dos atos humanos que residem em sua Alma (O livro de sua vida). O espírito humano é uma partícula de Deus, é o Seu sopro, e isto não pode ser enlameado, por isso Deus disse: "Não contenderá para sempre o meu espírito para sempre com o homem, porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos. Gn.6.3.
Veja ainda: Eclesiastes 8:8 "Nenhum homem há que tenha domínio sobre o espírito, para reter o espírito; nem tem poder sobre o dia da morte..." - e, Eclesiastes 12.5-7 "porque o homem se vai à sua eterna casa, e os pranteadores andarão rodeando pela praça; antes que se quebre a cadeia de prata, e se despedace o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e se despedace a roda junto ao poço, e o pó volte à terra, como o era, e O ESPÍRITO VOLTE A DEUS, que o deu".


Alma suja, não necessariamente significa espírito sujo, mas aí se estabelece uma rivalidade, uma disputa, pois o espírito humano geme pelo homem pecador e não querendo se contaminar aperta a consciência e por ela se expressa. O Nascer de Novo é o nascer do espírito, que outrora envolto pela alma queria arrastá-lo às mais graves ofensas à Deus, estas são as chicotadas nas costas de Jesus a caminho da Cruz, aqui está o virar as costas do Pai ao Filho.


Hebreus 4.12 faz uma distinção totalmente aberta da diferença entre Alma e Espírito, quando diz que a Palavra de Deus é tão penetrante como uma espada de dois gumes que penetra até a divisão da Alma e do espírito. Por que essa divisão? Por que quem julga é o Juiz, mas a lei do juízo é a Palavra de Deus. É a Bíblia a única capaz de separar a Alma do Espírito. Os deterministas não podem aceitar isto, pois o julgamento confere ao individuo as responsabilidades de suas opções durante a vida, logo, não há determinismo, mas liberdade de ação e escolha.
Como falei, os reformados, os deterministas, negam a Bíblia, mas não negam Calvino e suas heresias, que afastam os salvos da atuação do Espírito Santo em seus corações e minguam os Dons espirituais na vida espiritual dos santos. 


Romanos 8.16 - "O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus". Como? Através dos muitos dons do Espírito, da atuação na consciência e do ensino das coisas de Deus.


O Calvinismo é o maior barco furado ainda navegando no oceano das letras mortas. Até que chegamos ao estado atual da Teologia Contemporânea, onde chega-se a duvidar da Ressurreição de Jesus. 

 
Por isso a Salvação é pela fé. E qualquer que se aproxime de Deus tem que crer que Ele existe e que sua Palavra foi Revelada para ajudar o ser humano caído.
Sem fé, ninguém consegue agradar a Deus.

II - Marxismo e Cristianismo: Conciliação?

Conciliação entre Cristianismo e Marxismo

O catolicismo romano influenciou muito os destinos da ciência moderna, pois foi intolerante com cientistas que desafiavam os dogmas da igreja como no caso de Giordano Bruno, que foi ordenado sacerdote católico, mas abandonou depois de ser considerado herege. Defendeu o heliocentrismo, e inclusive relativizou a interpretação da Bíblia. Isto forçou os cientistas a divorciarem-se da religião. (Não estou dizendo que a Igreja Católica não contribuiu com o avanço científico, pois isso seria uma mentira).

Depois do maçom Darwin desacreditar do Criacionismo trazendo ao cenário científico a Teoria Evolucionista, juntamente com o Racionalismo Filosófico que iniciou-se com René Descartes, depois Immanuel Kant, passando pelo empirismo de John Locke e David Hume, chegamos ao Deísmo, (que admite a existência de Deus, mas muito distante e alheio à humanidade), após isto a porta para o Ateísmo estava aberta com Arthur Schopenhauer a se declarar não um deísta, mas um ateísta convicto. Essa porta se escancarou e muitos filósofos entraram por ela.

O Ateísmo deixa o coração humano acessível à revolta e ao ódio contra Deus, mas pior do que isso, fez com que homens como Karl Marx e Friedrich Engels e posteriores se dedicassem a Implantar um estado Ateu, um estado materialista e aversivo a Deus. Nasce a política socialista, com uma falsa preocupação humanitária proletária. Assim o Marxismo, como resultado da repulsa a Deus e a tudo quanto a Ele se refira, ganha forma e força. E em nome dessa filosofia matou-se mais gente do que em todo os sistemas políticos até então.

Depois destes filósofos vieram aqueles que se encantaram com o marxismo e se dedicaram a estudá-lo e aplicá-lo ao mundo ocidental, como a escola de Frankfurt. Porém, isto não pararia aí, homens amantes do marxismo, mas com respeito à Deus, tentaram fazer um caminho inverso e amoldar o marxismo ao teísmo, mas isto não poderia dar certo, pois a fonte de água salobre não pode produzir água potável. Surgiram homens como Heidegger e Rudolf Bultimann que tentaram trazer as teorias marxistas à teologia. Disso surgiram muitas heresias com cara de humanismo, mas mais parecidas com o gnosticismo do início do cristianismo, ou seja, "o mundo está errado, e os teólogos liberais sabem como concertá-lo", porém, nós cristãos sabemos que o mundo está errado, mas ele está errado porque nós somos pecadores, então, a mudança tem que acontecer primeiramente em nós.

A teologia liberal é um gnosticismo cristão e muitos teólogos tem entrado por essa porta, que é um misto de marxismo e cristianismo humanista e imanentista.

Deixo aqui minha total reprovação à essa cambada de homens sem Deus, embora se achem homens de Deus.

Apenas acenei com esta denuncia, mas esse assunto é muito complexo e por demais longo. Envolve Filosofia, Teologia e História. Mas, vale muito a pena estudar esse assunto.

I - Marxismo e Cristianismo: Conciliação?


Conciliação entre Marxismo e Cristianismo Pt 1

Entender o que está acontecendo no meio cristão pós-modernidade é algo que merece bastante atenção, pois estão muito atuantes nos círculos teológicos, com proeminentes teólogos liberais.

A conciliação entre o Evangelho e o Comunismo precisa ser muito bem estudada, pois hoje uma linha teológica muito bem camuflada, como um camaleão que se mistura com o ambiente, está influenciando a Teologia e por conseguinte a Igreja de Cristo.

Teólogos de grande destaque com Ed René, Ricardo Gondim, Caio Fábio, Ariovaldo Ramos e outros, se enquadram entre os defensores da teologia liberal, da neo-ortodoxia, da ortodoxia generosa ou barthianismo é um modelo teológico ligado ao nome do teólogo alemão Karl Barth (1886-1968). O universo teológico de Barth é amplo e nele se destacam pontos interessantes como a soberania de Deus e o lugar central concedido a Cristo. 


Porém, o aspecto do pensamento neo-ortodoxo que mais se popularizou e que merece séria crítica por parte dos crentes é sua visão acerca da Bíblia. Barth ensinou que a única revelação de Deus ao homem é Cristo. Só ele é a Palavra de Deus. De acordo com esse entendimento, a Bíblia não é a Palavra de Deus, pois somente Cristo é. Barth não cria que as palavras das Escrituras fossem inspiradas e também não acreditava que os registros bíblicos fossem infalíveis. Se a Palavra de Deus, a Bíblia, não é confiável, então o que sobra? Como crer? De onde podemos buscar a base de nossas crenças?

São os "teóloucos", ou seja, os malucos da teologia. Se não posso confiar na Bíblia, segue-se que nada mais é confiável. São desonestos com suas Igrejas, pois não falam diretamente com suas igrejas que eles NÃO creem que a Bíblia é a Palavra Infalível de Deus. São de uma desonestidade gritante, pois sabem que se falassem, suas igrejas se esvaziariam, então, preferem esconder, enganar. E o pior de tudo isso é que fazem uso da Bíblia dominicalmente para pregar seus sermões.

O motivo de expor essa tragédia teológica é que temos que entender a fonte de tanto engano. A fonte é justamente a tentativa equivocada de se conciliar a Teologia e o Marxismo. È o mesmo que tentar conciliar o Céu e o Inferno, ou o demônio a um anjo, ou Satanás e Jesus. Impossível!

Mas, ainda acreditam que é possível, e nessa tentativa alguém que perder, quem perderia? A Bíblia.