quinta-feira, 27 de junho de 2013

Esquecimento





Presente, passado e esquecimento


O presente é o tempo que se desloca continuamente. Portanto, o meu passado é aquilo que eu permiti ser deslocado no meu presente. Mas, se foi apagado já não é meu passado, pois não está mais em mim.

Esquecimento é o ato de apagar, mas indica uma ação constante, portanto, estará sempre apagando e algumas vezes nunca conseguimos apagar algo que foi marcante, logo, não passou e nem foi esquecido.

Entregar alguém ao esquecimento é prolongar uma angústia pelo resto da vida, pois como se pode esquecer aquilo que está entregue ao ato contínuo do esquecimento? Melhor, então, seria abrandar o objeto entregue ao esquecimento, dando-lhe perdão. 

A única ferramenta capaz de apagar a angustia da ação continua do esquecimento é o perdão.

O perdão, porém, requer coragem e muito amor. Ou seja, é preciso ter muita coragem para amar aquilo que se quer esquecer, ou muito amor para ter coragem de perdoar.

Seja no passado, no presente ou no futuro as marcas riscadas na alma só têm uma cura que é o perdão.

Apagando a ofensa com o perdão, deixa de ser um contínuo apagar e passa a ser uma limpeza de alma. A recordação de tais fatos já não serão capaz de afetar ou causar males.