sexta-feira, 28 de junho de 2013

Beleza: Uma Qualidade




A Beleza

A beleza é uma área bem discutida na filosofia estética. A Estética e suas implicações metafísicas.
Para o subjetivismo a Verdade objetiva não existe, o Bem objetivo não existe e a Beleza objetiva não existe.
A beleza relativizada é um absurdo, pois a beleza é real, ou é belo ou é feio. Beleza não é questão de gosto, mas de realidade.

O gosto pode ser direcionado. A mídia pode conduzir os gostos, mas jamais a beleza. Alguém pode ser instruído a ter bom gosto ou mal gosto, mas isso independe da beleza. O mau gosto não torna a coisa que se gosta bela.

A implicação metafísica é importantíssima, pois se a beleza for relativizada ao gosto do freguês, segue-se que o relativismo está presente em todas as áreas da vida e que Deus não fez o belo, pois o belo não existe.

Deus é virtude plena. Todo bem, bondade, harmonia, amor, beleza, luz e semelhantes, são qualidades que tem fonte e essa fonte é Deus. Você, então, perguntaria: "Mas, e a feiura, mal, maldade, confusão, ódio, trevas, são da mesma fonte: Deus?" Não! Em Deus não há nem sombra de qualquer variação ou sombra de mudança (Tg.1.17). Então? Então, toda feiura, maldade, confusão, ódio e trevas, na verdade são ausências de beleza, de bondade, de harmonia, de amor e Luz.
Por exemplo, a ausência de Luz é trevas, pois a luz chegando as trevas se vão. A ausência de beleza é feiura, logo, é preciso passar esmalte nas unhas, colocar brincos, fazer a barba, ir à academia, cortar os cabelos, fazer plástica, e, temporariamente a feiura se vai. Porém, tem gente que só um milagre mesmo!?! Nesse caso a fonte já não era boa. 

Não podemos nos esquecer dos efeitos da queda. O conhecimento do bem e do mal veio por meio da queda, do pecado. A beleza e a feiura já estavam implícitos nesse conhecimento proibido. Adão e Eva deveriam ser muito belos, pois os efeitos da queda vieram depois do pecado. Quando Deus os criou não havia o oposto ao belo, ou seja, o feio.

Não fique triste pela sua feiura. Em Cristo somos à imagem dele, temos sua mente e exalamos o perfume dele. Que a beleza de Cristo se veja em nós.

Muitos dizem: "O fulano tem uma beleza interior enorme", isso é o mesmo que dizer "o cara é feio de machucar". Um cirurgião pode responder melhor essa questão!
Evidentemente quando se fala em beleza interior de alguém, isso corresponde a uma virtude de sua alma. Pois, toda qualidade tem origem em Deus, seja no corpo, na alma ou no, e principalmente, espírito.

Jesus foi o exemplo de que ser feio não é demérito algum: Is.53:2 "Porque foi subindo como Renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha formosura nem beleza; e, olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos". 

O primeiro Adão foi belo e agiu mal, assim como Saul e Davi. Já o segundo Adão (Jesus) não tinha formosura, mas fez tudo o que o Pai lhe pediu. 

Jesus, em sua próxima Vinda, virá com Glória e Formosura: Is.4:2 "Naquele dia, o Renovo do SENHOR será cheio de beleza e de glória; e o fruto da terra, excelente e formoso para os que escaparem de Israel".