sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Homicídio espiritual


É possível matar alguém espiritualmente?


Sim! É perfeitamente possível assassinar alguém no sentido espiritual.
Creio até que, hoje, em muitas igrejas, esse é o tipo de homicídio amplamente cometido por pessoas com boas intenções, mas extremamente competitivas.

Testemunho de um pastor, em uma rede social, dizia que enquanto uma pessoa caminhava rumo ao tanque de batismo, alguém disse: "Como pode isso se batizar?". Depois deste dia aquela pessoa nunca mais voltou à Igreja. Certamente a pessoa que fez esse comentário cometeu um homicídio espiritual.

Um outro caso foi de um pastor que ao saber a decisão de que um membro de sua Igreja estava deixando a denominação, procurou-o e disse-lhe: "Eu não abençoo sua saída, eu amaldiçoo sua saída". Isso foi com certeza uma tentativa de homicídio espiritual, pois a tal pessoa, por ser experiente e bem informada não deu importância ao pastor inútil, mas o abandonou com suas infidelidades tanto à Palavra de Deus quanto à sua própria esposa.

A Palavra de Deus, no Antigo Testamento, diz: "Não matarás". O Novo Testamento, em Jesus Cristo, deu a essa palavra novos contornos e, com certeza, de forma bem ampliada. Quando Jesus diz no texto do Evangelho de João 8 sobre a questão da mulher apanhada em adultério, e que por ser adultera, de acordo com a Lei, ela deveria ser apedrejada até a morte, a reação de Jesus foi em prol da vida, pois todos os acusadores eram de igual modo pecadores, tanto quanto ela. Aqueles homens queriam não apenas matá-la, mas matá-la diante de uma autoridade espiritual, pois à seu ver (deles) Jesus era um Rabino e estava diante do Templo. Veja as implicações espirituais desse ato, na realidade haveria ali um duplo homicídio o físico e o espiritual. Mas, Jesus além de preservar sua vida, perdoou seu pecado e recomendou que ela não pecasse mais, e ainda por cima mostrou que os acusadores eram tão pecadores quanto ela.

 I Jo.5.11,12 - E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida.

João está nos ensinando que, ter O Filho de Deus, é ter a Vida Eterna. Logo, aquele que não tem o Filho não tem a Vida! Assim, se alguém for responsável por tirar Jesus, o Filho, da vida de uma pessoa, está matando essa pessoa. Existem muitas formas de assassinar alguém espiritualmente, uma delas é o falso testemunho; outra é o ensino que afasta a pessoa da Verdade, de Jesus; uma outra forma de homicídio espiritual é seduzir alguém sexualmente, financeiramente ou psicologicamente, conduzindo-o a uma rebeldia contra Cristo, ainda que sem consciência do fato; de igual modo posso matar alguém espiritualmente conduzindo-o à heresias.

Falsos pastores e falsos profetas são assassinos em potencial de almas famintas, pois o que oferecem aos seus ouvintes? Hoje vemos inúmeros líderes que se dizem cristãos, mas não trabalham na causa do Evangelho de Cristo mas apenas para si mesmos. São medrosos, pois receiam perder a "boquinha", são profissionais fracassados que não conseguirão ganhar o mesmo no mercado de trabalho. Submetem-se à um líder superior por medo e não por compreensão, respeito e amor.

Possivelmente muitos irmãos em Cristo já mataram algumas pessoas por pura ignorância, desafeto e ganância, mas precisamos ter em mente que não somos chamados a seguir homens, mas sim Cristo Jesus e seu ensinamentos.

Além das causas internas de morte espiritual, ainda existem os assassinos externos e podem ser classificados em graus de periculosidade. Hoje o mais perigoso de todos é sem dúvida Richard Dawkins por sua impetuosidade e influência. Evidente que estamos falando de assassinos espirituais!

Um ditado antigo dizia: " Cuidado ao DIRIGIR, não beba, não mate e não morra".





  

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Homens Perversos



A quem amar?

Amar um Bandido!

Quem você ama e gosta de fato? Sua família ou o bandido?

O Bandido você tem que amar como Jesus ordenou.

A Família você tem que Amar e Gostar! Isso é bem diferente.
Amo minha esposa e gosto dela. Gosto de estar com ela. Vou para casa por que gosto da companhia dela.

Existem alguns homens que amam suas esposas, mas não gostam de estar com elas. Preferem os amigos dos bares, dos bilhares, dos pebolins, do futebol, etc. Gostam mais dos amigos do que da esposa, mas a ama.


Quanto ao Bandido, ao inimigo, eu posso amá-lo, mas jamais gostarei dele, pois ele não faz parte da minha família, ou da família de Deus. Nunca o levaria para minha casa para assistir TV ou comer pipoca. Mas, o Amo! Sou capaz de perdoá-lo, socorre-lo!

Porém, se esse bandido invadir minha casa, ele não está demonstrando merecer meu amor e minha confiança. Portanto, ele está colocando meus amados em perigo de vida. Agora, ele não é mais digno do meu amor, mais do que do meu cuidado e amor por minha família!


Quem viverá? Aqueles a quem amo e gosto de estar junto, ou aquele a quem amo, mas quer matar a mim e aos meus? Existem momentos que você não pode vacilar, pois a segurança dos seus amados está em perigo. Se for possível, todos devem sair vivos, mas se não for possível, então, faça o que todo homem digno faria, enfrente o inimigo se houver chance.


Se tiver que escolher, não titubeie! Defenda sua Família! Sempre! 


Satanás não se combate com amor por ele, mas com luta! Satanás tem feito muita gente sofrer, então, não o deixe vencer! Seja com amor ou com luta Satanás é o perdedor!

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Panta Rei - Tudo Muda




Panta Rei

A palavra Panta Rei utilizada pelos gregos sugere a ideia de que tudo é móvel, fluido, transitório, "Tudo flui". Heráclito de Éfeso (480 a.C.), filósofo, utilizando-se dessa palavra disse que tudo passa. Para ilustrar essa afirmação de que tudo passa, Heráclito usou a bem conhecida metáfora do rio: 

"Não é possível banhar-se no mesmo rio duas vezes". 

Afinal, as águas que correm no leito de um rio nunca são as mesmas, e, tudo passa! Nós já não somos os mesmos de dez anos atrás, de trinta anos atrás, não somos mais aquela criança que dormia assustada com o vulto de um pano pendurado no canto do quarto que parecia um monstro pronto a atacar. Não somos sequer os mesmos de ontem.

O Mundo muda, tudo o que há no Mundo muda. As Mudanças requerem tempo e o tempo cobra mudanças. Existe uma "infinidade" de mudanças ocorrendo agora mesmo, enquanto digito esse texto e o próprio texto sofre mudanças. 

Um marceneiro vem colocar uma prateleira na sala. Mudanças acontecem, a madeira é lixada, aparada, envernizada, pregada e parafusada. Tudo isso gastou tempo para execução. O que foi envolvido? Madeira, Parede, Sala, Lixa, Serrote, Verniz, Prego e Parafuso, mas o Agente da Mudança também tinha que estar lá - o Marceneiro, evidentemente. Todos esses elementos entraram em minha vida, a maioria vai permanecer por mais tempo, mas o Marceneiro, após realizar seu trabalho e receber por seu Tempo e Habilidade, volta à sua Realidade, graças a Deus! A parede fica e os materiais ficam, mas a visão é outra, a utilidade é outra.

Que mudanças estão ocorrendo em sua Vida? Seu Tempo passa a cada instante, o Preço está sendo cobrado quer você queira ou não. Tempo é algo estranho está em nós, mas está fora de nós, existe e não existe. O Tempo não pode existir dentro da Eternidade, pois se assim fosse a Eternidade não seria Eternidade devido à limitação de sua mensurabilidade. Não é possível dividir a Eternidade em partes, isso a limitaria. Só no Mundo Material tudo é mensurável, mutável e temporário. Deus por ser Eterno é Imensurável, Imutável e aTemporal.

Seu rio está passando, amanhã já será diferente com outras águas, mas o que produziu hoje?

Fazemos pequenas mudanças todos os dias em nossas vidas e na dos outros. Em nossas vidas buscamos o melhor, o agradável, o belo, o funcional. Mas, e na vida daqueles que dividem o espaço/tempo conosco, quais mudanças promovemos?

"O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR por longos dias" Sl.23.

Quantas Mudanças e Agentes você pode contar nesse Salmo? 
Mudanças - Panta Rei (requer tempo): pastoreio, provisão, repouso, cuidado, tranquilidade, refrigério, justiça, amor, sombra, morte, mal, presença, consolo, preparação, unção, transbordamento, bondade, misericórdia, seguir, habitar, Casa do Senhor.

Tempo: os dias de minha vida, longos dias, vida.

Agentes de Mudanças (dedicam tempo): Senhor, Pastor, Guia, pastor, "ovelha", águas tranquilas, refrigerante para alma, veredas, justiça, amor, vale da sombra da morte, mal, vara, cajado, mesa, inimigos, unguento, cálice, bondade, misericórdia, vida, habitação, Casa do Senhor e dias.

Cuide do seu Rio! Suas águas estão passando. Não tente congelá-lo, por debaixo do gelo as águas continuam fluindo!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Liberdade - Somos Livres numa grande prisão




Liberdade foice, Determinismo foi-se.

"Causa de todas as causas, tem piedade de mim" Sócrates

No Mundo material tudo o que existe tem uma causa. A Bíblia diz que Deus criou todas as coisas. Portanto, Deus é o causador de tudo o que há no mundo material.

Sendo assim, vamos pensar a respeito da Neve. O que causa a Neve? A Neve são gotículas de água que se precipitam das nuvens, mas ao cair passa por uma região muito fria que a solidifica, transformando-se em Neve.

Pois bem, então, a Neve tem uma causa, assim como a chuva, o Raio, o Trovão, etcetera, e por terem uma causa eles não são livres, pois estão restritos àquilo que os produz, ou seja, às suas causas.

O ser humano, foi criado por Deus. Assim, teve um causador que o moldou no barro, soprou em suas narinas e assim passou a ser uma alma vivente. Logo, o ser humano não era livre, pois estava preso ao seu Causador, como a Neve depende de uma série de fatores para existir, assim o homem dependia de tudo o que o Causador proporcionara a ele.

O Causador do Homem, foi o Oleiro, foi Deus, e esse Deus proveu tudo o que o ser humano necessitava para sua sobrevivência, como: plantas, frutos, hortaliças e principalmente o fruto da Árvore da Vida, pois se se ferisse ou adoecesse bastaria comer desse fruto. Mas, o ser humano não tinha Liberdade, não tinha Livre Arbítrio, pois estava preso às condições estabelecidas pelo Oleiro e por tudo o que necessitava para viver.

O ser humano para ser Livre teria que se desprender de suas Causas, e de tudo o que o mantinha atado à Causa, pois todas essas coisas o mantinham preso a um determinado estilo de vida pré-estabelecido. O Determinismo o mantinha preso, as causas o mantinha preso. Então, a Serpente lança uma proposta de Liberdade ao homem: "Por que você tem que comer só o que lhe foi proposto?" "Você precisa ficar preso à Causa?" Como aquilo que não lhe foi proposto como Causa de Vida!

O ser humano comeu o fruto que o Causador não lhe deu como causa para viver. Assim, desprendeu-se do Causador, passou a conhecer outras opções de vida, mas com o perigo do Mal rondando sua existência.

Por haver rejeitado o Fruto Causa de Vida, o Fruto do Éden, foi expulso do Éden que renegou como Causa de si. Ganhou sua Liberdade! Mas, será que Libertou-se?

A Autonomia (que significa regra própria) do homem o faz um prisioneiro da causa de seu descaso, ou seja, o aprisiona em pequenas causas de engano. Logo, o ser humano querendo a Liberdade, deixou o Paraíso, a Árvore da Vida e Deus. Foi viver seu projeto pessoal de vida. Mas, como não há vida fora da Vida, o homem sobrevive com as migalhas que caem da mesa de seus Senhores, pois Deus nunca abandonou o homem, mas o homem o abandonou.

Não há hoje Determinismo! Pois, o Determinismo foi a Causa abandonada.

A Liberdade concede ao ser humano uma prisão de pesadelos, de medos, de doenças e de mortes! Pois, Determinados ou Livres estamos todos presos.

Mas, ainda bem, isso é temporário! O Tempo existe! Glória a Deus! A Morte existe Glória a Deus! Pois, para todos os que querem ter vida, terão que morrer. Todos os que Morrerem, terão vida!

Ouro, prata, pedras preciosas, que valor tem sem a Verdade e a Libertação que Jesus nos trouxe? Os incausados pseudo-libertos, se enganam e enganam por dinheiro. Não pensam nas Almas, mas nos recursos. Gritam - "deem-me os seus dízimos e ofertas, pois se não vocês estão roubando a Deus", mas eles mesmos Roubam a Igreja de Jesus Cristo que deu a vida por ela. Não se preocupam com o ensino, com a edificação dos "irmãos", mas são vistos como números e cifrões.

Impressionante como as pessoas não buscam a Verdade, mas sua própria glória! Dentro e fora das Igrejas. Igreja não salva ninguém.

Quer Libertar-se? Conheça a Verdade! Conheça a Verdade em Vida num único Caminho: Jesus!


terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Teofania, Amor e Fé





Teofania é a manifestação de Deus no mundo material em algum lugar, coisa ou pessoa.

As teofanias são raras e há forte razão para isso ser desta forma.

Essa falta de manifestação da divindade em nosso meio chegou a gerar a suspeita de que Deus criou este Mundo e o abandonou, sem dar importância à sua criação, surgindo desse fato o Deísmo.

Por que a teofania é tão rara?

Primeiramente temos que ter em mente que Deus não suporta o pecado, e que este Mundo está sob o domínio do pecado e jaz nele.

Em segundo lugar o relacionamento entre Deus e os homens é na base da Fé.

A Fé é um ato intelectual que me deixa livre(1). A Fé me deixa livre por que Fé é uma questão de Amor.

O Amor tem que ser Livre. Não há Amor por obrigação! Não posso obrigar alguém a me amar. A pessoa me ama por sua livre vontade. Se eu forçar alguém a me amar, isso já não é Amor, mas uma possessão, onde passo a ser proprietário de alguém sem que essa pessoa queira.

A Fé me deixa livre, pois tenho a possibilidade de Amar ou Não Amar a Deus.

Já, Deus, não precisa de Fé em mim, pois Seu Amor é incondicional, não é optativo. Além disso Deus é Onisciente, nada está escondido dele. Logo, por me ver todos os dias de minha vida, que fé Ele necessitaria ter em mim? Sou Real a Ele.

Vamos inverter, eu não sou onisciente, logo, não consigo ver Deus sequer um dia de minha vida (a não ser que Ele queira), portanto, necessito da minha Fé.

Se Deus se manifestar visivelmente em minha frente, já não necessitarei mais de minha fé, pois o vi! Ele é Real!

Se Deus se apresentar a você tal qual Ele é, você não é mais Livre! Você não tem mais opção da Fé!

Mas Deus quer o Amor, e por esse motivo Ele se esconde! Deus quer fazer brotar o Amor em você, então, Ele se esconde.

Deus te dá a Liberdade de responder a Ele por meio da Fé.

A Fé é um ato que envolve o Amor e a Inteligência, a Razão. Não é uma Fé cega, pois isso é religiosidade. Todas as religiões no Mundo tentam chegar a Deus, mas só no Cristianismo Deus vem a nós num ato de Amor tão incondicional que deu seu Único Filho, numa Teofania camuflada, quase escondida, para que nós mantivéssemos a Fé.

Por que Satanás tentou Jesus? Por que queria que Ele se manifestasse não camufladamente, mas de forma poderosa, pois assim estaria quebrado o laço da Fé e do Amor.

Jesus é Deus, logo, tem Todo Poder, mas não era Seu poder que estava em jogo, mas as Almas de milhões de pessoas. Quem pode tirar o Poder de Deus? Ninguém! Mas, quem pode roubar as Almas das pessoas? Satanás! Seu intento foi frustrado e satanás retirou-se da presença de Jesus Cristo e os Anjos O serviram! Glória a Deus nas alturas!

Deus tinha que se manifestar como homem para continuar no mesmo caminho de Fé e Amor dos homens para com Ele. Se Jesus se manifestasse em toda sua Glória, já não seria mais necessária a Fé e, portanto, o Amor não seria voluntário, mas obrigatório.

(1) Texto baseado na aula do Pe. Paulo Ricardo de Azevedo em "Metodo Teológico"

domingo, 12 de janeiro de 2014

Sou obrigado a amar a Deus?


Livre!

Toda pessoa viva ou que já viveu tem ou teve sua liberdade de escolha. Mas, porque Deus nos dá essa liberdade de escolha?

A resposta a essa pergunta, embora quase oculta, é esclarecedora e simples: "O Amor é Livre"

O jovem Breno ao se encontrar com uma garota, Ana, demonstra interesse por ela, e, com o tempo lhe faz uma proposta de namoro. Mas, a Ana tem interesse pelo Kim e diz não ao Breno. O Breno inconformado se irrita e ofende a Ana.
Ora, nessa estória podemos ver claramente que o Amor é Livre, pois o Breno não pode forçar a Ana a amá-lo. Ou seja, o Amor não pode ser obrigatório, à força, mas tem que ser livre.

O Amor de Deus por nós é incondicional, pois Ele é Amor em sua essência. Ele nos ama e ponto final! Nosso amor por Deus não é da mesma forma, ou seja, é voluntário. O Amor é uma questão de decisão livre de cada pessoa. Esse amor livre é que Deus espera de nós.

Se essa decisão é livre, eu resolvo amar a Deus. Logo, Deus não pode se apresentar diante de mim fisicamente, pessoalmente, pois se assim fizer, já não terei mais a opção de amá-lo ou não. Terei que amá-lo obrigatoriamente, pois o vejo, sei que Ele existe de fato, sei que Ele é Real. A Fé passa a ser inexpressiva, sem sentido algum.
A questão é que Deus quer que nós o amemos por meio da Fé e não por que O vejo.

Deus não pode se revelar diante de nós, pois se fizesse isso nós não seríamos livres, mas teríamos, forçosamente, que amá-lo.

O Amor é Livre! Você é livre no Amor!

"Conhecereis a Verdade e a Verdade vos Libertará!" Essa é a Verdade: você decide Amar a Deus ou não! Você pode ter Fé ou não! Você pode ser uma pessoa espiritual ou não!

É necessário que todo aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe. Hebreus 11.6

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Deus pode Mentir?


Deus não Mente, jamais!

Porquê?

Deus não pode mentir, pois a mentira é um ato exclusivamente humano e até angelical (Como Satanás, o pai da mentira). Deus não pode mentir, pois a mentira é uma tentativa de se esconder algo errado. Logo, Deus não mente, pois não há nada a esconder.
A mentira é uma facilidade para se encobrir erros. Quando nos encontramos diante da Verdade nós temos duas escolhas:

1 - Aceitá-la juntamente com seus efeitos ruins. Pois, Jesus disse que a Verdade Liberta, mas não disse que seria fácil, que seria sem constrangimento, que seria indolor! A Verdade algumas vezes trás sofrimento.
2 - Rejeitá-la e buscar o caminho mais fácil da Mentira. [A Mentira é uma promessa de felicidade que não virá]*. A Mentira é um atalho que conduz à um labirinto aprisionante.

Rejeitar a Verdade é um cicatrizante, mas é também um cancerígeno. Desencadeia um processo de cauterização em que a ferida não será exposta, mas as consequências são dramáticas, pois a cauterização não permite que se veja a ferida e se tome os devidos cuidados. A Consciência de que ali existe uma chaga é suturada, é escondida.

Deus não pode mentir, pois se o fizesse existiria nele uma mancha de variação e de sombra. Logo, Deus não poderia ser Deus se mentisse.
Um deus que mente jamais pode ser Deus, pois a mentira é a tentativa de encobrir erros. Se Deus mentisse, estaria encobrindo erros, logo pode se concluir que um deus que erra não é Deus, mas um usurpador.

Deus tem em si todas as Qualidades (Virtudes) em grau máximo, como a Beleza, a Bondade, a Fidelidade, o Amor, a Misericórdia, a Compaixão, etc. A Verdade é uma das Qualidades em grau máximo em Deus. Deus não pode se afastar da Verdade, pois Ele é a Verdade. O Homem pode se afastar da Verdade e caminhar rumo à Mentira. Assim como a Luz em Deus é em Grau Absoluto, o afastar-se dessa Luz resulta em trevas.

A Mentira é o distanciar-se da Verdade. Porém, o oposto à Verdade é a Falsidade. A Falsidade nem sempre é uma Mentira, vejamos isso em Gênesis 3.5 - "Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal".
Ora a Serpente não mentiu. Veja o versículo 22: "Disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal;" Portanto, a Serpente não mentiu, mas opôs-se à Verdade, ou seja, foi falsa, induzindo o homem ao erro.

A Mentira distancia paulatinamente a pessoa da Verdade. A Falsidade opõe-se frontalmente à Verdade.
Podemos fazer uma analogia entre a Verdade, a Falsidade e a Mentira:
A Verdade é como uma rosa vermelha e delicada em um jardim. A Falsidade é como uma rosa vermelha feita de plástico no vaso da sala, e que engana quem olha para ela. A Mentira é ver a rosa e chamá-la de cravo.
Verdade: Uma rosa natural é uma rosa!
Falsidade: Uma rosa artificial é uma rosa!
Mentira: Uma rosa é um cravo.

Se Deus mentisse Ele não poderia ser Deus, pois haveria em Si erros e tentativas de encobrir esses erros. Logo, não poderia exigir que fossemos verdadeiros. O apóstolo Paulo na carta aos Romanos diz: "Seja todo homem mentiroso e Deus Verdadeiro" (3.4)
Deus tem em si todo o conhecimento tanto do Bem como do Mal, porém, em Si, Ele não tem o Mal, em sua essência não pode haver o mal, pois se assim fosse Ele não poderia ser Deus, pois Deus é o Bem em Grau Absoluto, é Onibenevolente! O mal vem, automaticamente, do afastamento do bem. É impossível ser bom e ser mau ao mesmo tempo. Existem graus de bondade e graus de maldade. Se faço algo mau, não posso ser bom naquele momento! Assim, a Mentira e a Verdade também não podem conviver em harmonia. Que comunhão há entre a Luz e as Trevas? A Justiça com a Injustiça? Cristo e Belial? O Fiel com o Infiel? Ou Deus com os Ídolos? (II Co.6.14-16).

A Mentira é agradável, mas nunca deixará de ser mentira. A Verdade pode ser amarga, mas sempre será a Verdade.

Em 1991 tive um chefe no departamento de Assistência Técnica que bebia muito, e um dia sentiu-se mal e foi parar no hospital. O médico o examinou e viu que a situação era grave e perguntou-lhe: "O senhor bebeu?" ao que meu chefe respondeu: "Não, não bebi nada". O problema é que ele havia bebido e tentou o atalho da Mentira para encobrir seu erro. Isso custou-lhe a vida, pois o médico acreditou nele e mandou aplicar uma injeção de um medicamento que agiu de forma contrária e agravante ao seu estado.

A Mentira pode falsear a Verdade tornando-a uma Falsidade. Isso pode custar vidas e almas. Adão e Eva que o digam!

* Pe. Paulo Ricardo de Azevedo Jr.