terça-feira, 24 de junho de 2014

Morte




A Morte e a Eternidade

"Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade (Mundo) no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim".Eclesiastes 3.11
O texto faz menção de um anseio por uma eternidade no coração humano.

A tradução corrigida troca a palavra Eternidade por Mundo, que na verdade que dizer materialidade, como um escudo contra a eternidade, mas que enraíza-se no coração humano.

A Verdade é que todo ser humano vivente tem uma expectativa de vida eterna em seu coração. O homem não foi feito para morrer! Por esse motivo, existe no ser humano uma fome por algo transcendente à sua mortalidade. Assim, toda pessoa humana tende à Religião.


Existe, portanto, no Mundo uma busca por espiritualidade como reflexo de uma morte em marcha na vida das pessoas, ainda que essa religião seja o ateísmo. O ateísmo é uma busca desesperada para não crer nesse Deus que grita em seu coração.


O Universalismo diz que todos os caminhos (Religiões) levam a Deus por meio de Jesus Cristo.
Porém, o que vemos é que nenhuma religião conduz à eternidade, pois a religião é uma criação humana. O texto bíblico diz: "Sem que este possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até ao fim", ou seja, esse caminho está encoberto ao ser humano, e, por isso criam-se tantas religiões!


Nenhum caminho humano pode conduzir à eternidade! Mas, Deus sendo rico em misericórdia providenciou um Único Caminho: Jesus! Ele disse de si: "Eu sou o Caminho" João 14.6, e Pedro em  diz: "Em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" Atos 4.12


Portanto, não pregamos uma Religião criada à imagem do homem, mas um Caminho: Jesus!

terça-feira, 17 de junho de 2014

Bom Relacionamento é Amor

 “Largados e Pelados”, é o nome de um programa televisivo tipo Reality, onde o protagonista da façanha tinha que sobreviver em uma ilha por mais de cinquenta dias sem roupa, sem provisão de alimentos, sem se quer um abrigo, ou seja, sem nada. E ainda para piorar as coisas ele tinha que filmar toda sua saga, suas angustias, seus medos e suas conquistas e realizações. Passou por diversos dissabores, frio, fome e chuva, mas aos poucos foi alcançando os meios básicos para sua sobrevivência. Quando faltava um dia para terminar sua aventura, ele disse: “O que mais senti falta foi de ter alguém para conversar!”.
O ser humano foi criado com a necessidade básica de relacionar-se com o outro que não consigo mesmo. Muitos em situação de isolamento acabam por perder sua normalidade mental, ou seja, ficam debilitados mentalmente, ficam loucos.
A pergunta é: Por quê? Por que o ser humano não consegue viver isolado de outros seres humanos?
Existe no interior de todas as pessoas algo que foi implantado pelo próprio Criador, esse algo é o Amor. O Amor no ser humano exige um relacionamento de amor com o outro ser humano.
O Amor é mais do que um sentimento, é uma necessidade, é um relacionar-se com. O Amor é, portanto, atitude, ação, e, por isso é um verbo. Não se ama um objeto, uma coisa, mas se ama alguém.
Ouvimos algumas vezes as pessoas dizerem que amam seu carro, sua cama, seu quarto, e coisas assim. Mas, será que amam? Não, isso não é e nem pode ser amor, pois o Amor exige um relacionamento, uma correspondência.
O Amor platônico, o amor não correspondido, não é amor em si, falta um relacionamento, não há correspondência. Algumas pessoas fazem uso de bonecas infláveis para de alguma forma tentar preencher sua solidão, mas será que isso funciona de fato? Não tem como funcionar, pois não há um relacionamento efetivo, não há uma correspondência de sentimentos, de completude, de satisfação. Essa pessoa está satisfazendo a si própria, está amando a si mesma. Uma boneca inflável não tem e nem expressa sentimentos.
O ser humano é feito para relacionar-se!
Deus, evidentemente, não sente solidão, pois Deus é perfeito em si. Mas, uma pergunta se inquieta, Deus necessita sentir Amor?
Deus não necessita sentir Amor, pois Deus é Amor! O ser humano não é Amor, mas necessita de Amor, portanto, o ser humano só se completa com o Amor da outra pessoa. O amor de uma pessoa por outra indica que essa pessoa tem Amor, mas não é Amor. Se o ser humano fosse Amor, ele não necessitaria do Amor do outro, pois já estaria completo. Isso suscita uma questão: Deus é amor, assim como Deus é perfeito. Então, Deus precisa do Amor das pessoas? Deus precisa do meu Louvor? Não! Absolutamente! Deus não necessita de nada, Ele é completo em si. Deus não necessita nem mesmo do meu Louvor. O Louvor não é uma necessidade de Deus, mas uma necessidade minha em Louvá-lo! Eu preciso Louvá-lo pelo que Ele é! Eu tenho que sentir necessidade de Louvar a Deus! Ele me ama por isso. Ele estufa o peito e diz: “Esse é meu filho amado, em quem me comprazo”, ou, “Viste o meu servo Jó?”.
Deus não necessita do meu Amor, eu necessito do Amor de Deus!
Deus não necessita do meu Louvor, eu necessito Louvar a Deus!
Deus não necessita de Glória. Ele já a tem! Eu necessito da Glória perdida de deus em mim. (Destituídos estamos da Glória de Deus).
O ser humano é carente de Amor. Carente do Amor de Deus em si, e carente da Glória de Deus em si. Carente do Amor do próximo a si.
Somos carentes de Amor, então, como posso dar Amor? Interessante que Amor para dar, nós temos. Essa é a provisão de Deus, quando dou amor Deus me enche de Amor!
Não é possível dar aquilo que não se tem! Logo, o Amor que dou é o Amor que Deus me dá. Ou seja, o Amor é a expressão de Deus em todos os seres humanos.
Ame! Relacione-se!

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Morte antes da queda de Adão

No jardim do Éden existia a morte?
Creio que sim, pois havia ali também uma árvore chamada Árvore da Vida.
Há uma inquietante interrogação na necessidade dessa Árvore da Vida estar ali (Gênesis 2.9), pois ela poderia não estar, mas estava. Qual seria sua função ali? Talvez uma possível resposta esteja no capítulo seguinte (Gn.3.22,24), pois ali é dito que se o homem tomasse de seu fruto, ele viveria eternamente!
O ser humano vivendo eternamente seria algo inimaginável depois de conhecer o bem e o mal, pois toda malignidade no mundo, tanto de pessoas quanto de demônios se estenderiam indefinidamente, por um tempo sem fim. Seria o mesmo que dar a Hitler o poder sobre a morte, para que ele vivesse para sempre matando e fazendo suas perversões! Nisso está a misericórdia de Deus para com a humanidade.
Quando Deus disse a Adão que se ele comesse da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, certamente morreria - Deus não quis dizer que morreria de imediato, mas que por não ter mais acesso à Árvore da Vida, ele um dia iria morrer. 
A inacessibilidade à Árvore da Vida não permitiria a Adão e a toda sua descendência recarregar sua bateria vital. Essa Árvore é como um poço de água no deserto ou até mesmo um oásis, sem isto a vida tem um tempo pequeno de existência e se findaria num esqueleto esquecido na areia.
Interessante é que essa Árvore só volta a ser mencionada de fato no último livro da Bíblia, o Apocalipse. No Apocalipse vemos o fim de uma jornada de miséria humana em seus caminhos pecaminosos e arrogantes.
No Apocalipse essa Árvore da Vida volta para nos mostrar o quanto erramos e quantos males a humanidade foi capaz de fazer sem Deus em seus caminhos. Ela volta para trazer a misericórdia de Deus sobre aqueles que entenderam que sem Deus não há Vida. A providência de Deus para a manutenção da vida volta:
"Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida que está no meio do paraíso de Deus".
Apocalipse 2:7
A Árvore ainda está lá no Paraíso de Deus. Nós é que fomos expulsos de lá. Expulsos por escolha nossa, e por desobediência do primeiro Adão, mas graças a Deus pelo segundo Adão que venceu:
"Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão, porém, é espírito vivificante".
I Coríntios 15:45
"Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo".
I Coríntios 15:22
A Árvore da Vida ganhará sua verdadeira importância quando os remidos de Jesus tiverem acesso livre a ela, aos seus frutos e às suas folhas. Pois, é saúde para todos os povos.
"No meio da sua praça e de uma e da outra banda do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a saúde das nações".
Apocalipse 22:2
Porém, só terão acesso à Árvore da Vida aqueles que lavaram suas vestes no Sangue do Cordeiro de Deus. E isso significa Vida Eterna!
"Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à Árvore da Vida, e entrem na cidade pelas portas".
Apocalipse 22:14
O perigo de alguém perder o direito à Árvore da Vida está no fato de essa pessoa conhecedora da Verdade, retirar qualquer palavra do livro desta profecia. Aqui é feito referência àqueles receberam a Salvação pelo sangue do Cordeiro, mas descuidaram e não consideraram o Livro de Apocalipse como um Livro Profético e tiraram-lhe o real significado de suas palavras:
"E se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da Árvore da Vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro". Apocalipse 22:19
Havia, sim, morte no Éden antes do pecado de Adão, mas havia também a Árvore da Vida que curava todas as feridas por acidentes, haja vista que não havia enfermidades. Portanto, o único mal que existia antes da queda era o mal físico. Não havia o mal moral e nem o mal metafísico. Talvez este último já houvesse, pois antes do pecado ali já estava a Serpente. Serpente essa que representa o mal metafísico de um anjo caído. Mas, isso já é assunto para outro estudo.
No Jardim de Deus, o Éden, havia morte sim, mas, também, havia a Árvore da Vida!