sábado, 14 de setembro de 2013

Inteligência e Sabedoria




Inteligência - essa palavra de origem do Latim Inteligere, “aquele que entende”, que compreende”. Formado por Inter - “entre”, e Legere - “colher, escolher, ler”. É o montar do "quebra-cabeça", ou seja dispor em ordem compreensível as informações colhidas, seja na escolha, na leitura ou nos dados. É a capacidade do ser em racionalizar, inteligir tudo aquilo que nos envolve, inclusive nossos pensamentos, embora nem todos os pensamentos sejam inteligentes. É a capacidade mental de raciocinar, planejar, resolver problemas, abstrair ideias, compreender ideias e linguagens. Segundo o filósofo Olavo de Carvalho, a inteligência é a capacidade de apreender a Verdade. Logo, fora da Verdade não há inteligência, há astúcia que é a habilidade em enganar!

Sabedoria ou sapiência (em grego Σοφία, "sofía") é aquilo que inspira o "sábio" (em grego σοφός, "sofós"). Sabedoria humana seria a capacidade que ajuda o homem a identificar seus erros e os da sociedade e corrigi-los. Sabedoria divina será provavelmente a capacidade de aprofundar os conhecimentos humanos e elaborar as versões do Divino e questões semelhantes.
Sabedoria vem de Saber e isto indica uma estreita relação com o Conhecimento. Porém, só o conhecimento não basta, é necessário e importante saber o que fazer com ele. A Inteligência me provê Conhecimento, mas não necessariamente me torna um sábio. Sabedoria é tornar o Conhecimento útil à vida pessoal ou do próximo, intuindo ou indicando o melhor caminho a seguir, a melhor atitude a adotar. Sabedoria é a capacidade de agir, de se expressar, de aprender e de ensinar, pois posso ser inteligente, mas não saber me expressar, não aprender, não ensinar e para piorar agir inadequadamente.

A sabedoria chinesa diz: "O homem comum fala, o sábio escuta, o tolo discute".
Apenas acrescentaria a isso: Na busca por resultados o homem comum mede consequências; o inteligente pensa, planeja e racionaliza; o estulto inicia rápido mas não termina. Porém, o que obtém resultados satisfatórios é aquele que age com sabedoria e isso algumas vezes é deixado de lado pelo inteligente.

A Sabedoria e a Inteligência, por se tratar de duas Virtudes, são limitadas ao homem em graus menores, só Deus as possui em Grau Absoluto. Os seres humanos possuem graus inferiores de inteligência e sabedoria, alguns mais outros menos. Em Mt13.23 somos ensinados que alguns produzem a 100; outros a 60; e 30. Já Mt25.15 diz que temos talentos, também, escalonados de 5; 2; 1, isso nos dá uma ideia dessa proporcionalidade das Virtudes humanas.

Só Deus possui todas as Virtudes em Grau absoluto.

Por esse motivo veja a inutilidade dos Gnósticos em acreditar que podem melhorar este mundo através do conhecimento. A Teologia Contemporânea, filha do Gnosticismo, é de uma inutilidade completa, pois julga-se numa posição superior à sabedoria de Deus. Creem eles que este Mundo está mal feito e que por meio do Conhecimento irão fazer aquilo que Deus não conseguiu fazer, melhorar este mundo.


Conhecimento no grego é Gnose ou Episteme, mas esse conhecimento por si só nada pode fazer, então, só o Sábio consegue utilizá-lo adequadamente. Porém, como Sábio só há um que é o Ser Supremo, Deus, nós mortais nos resta buscar nele respostas. O máximo que o ser humano consegue é ser "Amigo de Sofia", ou seja FilóSofos. Por não conseguir entender isto os filósofos contemporâneos como Nietzsche intentaram matar Deus.

Deus fez o Mundo exatamente como Ele quis que o mundo fosse! Esquecem-se, os Gnósticos, que Deus tem Propósitos, e seu propósito não é este mundo, mas sim O Reino Celestial!